Cinemas de Lisboa: depois das catedrais

A reconversão dos teatros em salas de cinema foi o primeiro passo para a associação do cinema a edifícios imponentes e vanguardistas. Mas rapidamente a sétima arte procurou outras casas.

Siga e partilhe:
20

Nossa Senhora das Dores: um convento mesmo ao lado da NOVA FCSH

Quem passa pela Avenida de Berna, junto à cerca do Hospital Curry Cabral, não imagina que esse muro delimitou um convento oitocentista.

Siga e partilhe:
20

Alexandre O’Neill e o Grupo Surrealista de Lisboa

É apontado como o fundador do movimento surrealista português em finais dos anos de 1940. Tudo começou no café “A Cubana”, que ocupava o prédio da Avenida da República, 37.

Siga e partilhe:
20

Catedrais do cinema

O FCSH + Lisboa criou um percurso pelos cinemas que marcaram o apogeu da sétima arte na cidade: uma época em que ir ao cinema era muito mais do que ver um filme.

Siga e partilhe:
20

Descendo as Avenidas Novas

Partimos da diversidade de olhares de investigadores da NOVA FCSH para criar o primeiro de dois percursos pelas Avenidas Novas. Passeie connosco pela expansão da cidade do século XX.

Siga e partilhe:
20

Memória para todos: partilhar Lisboa do passado

O património de Lisboa é uma narrativa histórica e cultural em contínua construção para a qual há um contributo decisivo: as memórias dos seus cidadãos.

Siga e partilhe:
20

Drama em prédio das Avenidas Novas

Aconteceu onde não era suposto acontecer, e foi manchete no Diário de Notícias: o abandono de uma criança na escada de um prédio da Avenida Defensores de Chaves.  Uma cobertura sensacionalista de um circunspecto jornal.

Siga e partilhe:
20

Arquitetos de Lisboa do século XX: Norte Júnior

É, por excelência, o arquiteto das Avenidas Novas não só pelo número de obras que realizou, mas também pela capacidade de seguir as tendências arquitetónicas que se sucederam entre 1900 e 1930.

Siga e partilhe:
20

Memórias das Avenidas Novas: Pastelaria Versailles

Ícone das Avenidas Novas, a patisserie Versailles era inaugurada a 25 de novembro de 1922 por Salvador Antunes, um português apaixonado pela pastelaria francesa e a Arte Nova.

Siga e partilhe:
20

Carta de leitor alerta para destruição do património lisboeta

O texto publicado no Diário de Notícias em 2007 chamava a atenção para a demolição de uma moradia modernista projetada por Cassiano Branco (1897-1970) em Lisboa.

Siga e partilhe:
20

Avenida da República: desfile de notáveis

Nascida dos planos de extensão da cidade de Frederico Ressano Garcia na transição para o século XX, a Avenida da República foi o eixo central do nascimento e crescimento das Avenidas Novas.

Siga e partilhe:
20

Horta do Baldio no Campo Pequeno – cenário de arte experimental

No centro de Lisboa, entre a estação ferroviária de Entrecampos e as traseiras da praça de touros do Campo Pequeno, há uma horta que, além de legumes, cultiva arte.

Siga e partilhe:
20

Um palácio às portas de Lisboa

Com a fachada principal voltada para o Largo de São Sebastião da Pedreira e muros até ao cruzamento da Rua Marquês de Fronteira, o Palacete de Eugénio de Almeida definia os limites da cidade, no século XVIII.

Siga e partilhe:
20

Azulejaria Arte Nova em Lisboa

Avenidas Novas, Arroios, Xabregas, Alcântara, Lapa e Campo de Ourique foram, nos princípios do século XX, os principais cenários da azulejaria artenoviana.

Siga e partilhe:
20