O percurso “rocambolesco” do Grande Panorama de Lisboa

No século XIX, o marquês de Sousa Holstein, vice-inspetor da Academia de Belas Artes de Lisboa, tentou adquirir objetos de várias artes para formar um “museu central”. Entre esses objectos estava o Grande Panorama de Lisboa, um painel de azulejos com 23 metros de comprimento. Hugo Xavier, investigador da FCSH/NOVA, relata o longo e curioso percurso desta obra para chegar a mais do que um destino.

Lisboa no cinema português: d’O Pátio das Cantigas a Os Verdes Anos

Mais do que por um género, o cinema português distinguiu-se pela representação do imaginário nacional. Desde as comédias de Lisboa, registo cinematográfico que o Fundo do Cinema Nacional tentou combater com a criação da Cinemateca Nacional, em 1948, e com bolsas de estudo no estrangeiro, passando pela cidade burguesa que aprisionava, Tiago Baptista traça a evolução da representação do país no cinema português.

“Partir da viola” para entender o lugar de Amadeo de Souza-Cardoso na revista Orpheu

Trou de la Serrure Parto da Viola Bon ménage Fraise Avant-garde é o extenso título de um quadro de Amadeo de Souza-Cardoso. Fez parte da exposição individual na Liga Naval de Lisboa, em 1916, agora evocada pelo Museu do Chiado até 24 de fevereiro de 2017. É também o mote para Marta Soares, investigadora da FCSH/NOVA e uma das curadoras da atual exposição, discutir o lugar de Amadeo na revista modernista Orpheu.