No coração de Lisboa – percurso literário

A zona que é considerada por excelência o coração da cidade é também o centro do imaginário literário. Este percurso traça a história de Lisboa, do século XIX até à atualidade, através dos seus escritores.

Siga e partilhe:
20

Ensinar jazz nos anos de 1970: a criação da escola do Hot Clube de Portugal

A criação da primeira escola de jazz do país foi fomentada pela necessidade de profissionalizar os músicos e de fazer chegar o jazz a mais públicos, mas acabou por afirmar-se também como um novo modelo de ensino, alternativo ao do conservatório.

Siga e partilhe:
20

Cinema em Lisboa: primeiro foi no “teatro-circo”

A relação das salas de cinema com a natureza das artes nem sempre foi tão clara como agora. As primeiras projeções cinematográficas em Lisboa foram feitas em recintos que tanto acolhiam peças de teatro como espetáculos de circo.

Siga e partilhe:
20

Cinema em Lisboa: como tudo começou

Foi no dia 18 de junho de 1896, às 20h45, que o animatógrafo se estreou no Real Coliseu de Lisboa, na Rua da Palma. As atenções dividiram-se entre a “fotografia viva” e a “última maravilha da técnica”.

Siga e partilhe:
20

Portas de Santo Antão: em busca dos notáveis

É pequena em extensão – percorre-se em poucos minutos – mas gigante na diversidade. Neste roteiro, procuramos os notáveis de outros tempos. Uns permanecem. Outros são histórias em ruínas.

Siga e partilhe:
20

Notáveis das Portas de Santo Antão: Ateneu Comercial de Lisboa

Aproveitando o tricentenário da morte de Luís de Camões, um grupo de comerciantes funda em 1880 o Ateneu Comercial de Lisboa para democratizar o acesso à cultura e ao ensino. Hoje, a associação luta pela sobrevivência.

Siga e partilhe:
20

Notáveis das Portas de Santo Antão: os “clubes da guerra”

Os últimos anos da I Guerra Mundial e os que se seguiram viram nascer uma nova forma de estar na cidade, particularmente à noite. A Rua das Portas de Santo Antão foi o cenário escolhido.

Siga e partilhe:
20

Diário de Notícias: a monomania de Eduardo Coelho

Um homem (Eduardo Coelho) sonhou, outro (Tomás Quintino) financiou e o Diário de Notícias nasceu. Em 1864, o novo jornal instalava-se na rua do Bairro Alto que hoje leva o seu nome, mas os tempos de glória correspondem à mudança para a sede na Avenida da Liberdade.

Siga e partilhe:
20

Notáveis das Portas de Santo Antão: a Sociedade de Geografia

Criada em 1875 com o fim de promover e auxiliar o estudo e progresso das ciências geográficas e correlativas em Portugal, a Sociedade de Geografia de Lisboa trouxe à Rua das Portas de Santo Antão o prestígio de uma instituição científica, lado a lado com os espetáculos populares do Coliseu.

Siga e partilhe:
20

Notáveis das Portas de Santo Antão: o Coliseu dos Recreios

Inaugurado em 1890, o Coliseu dos Recreios veio colmatar a necessidade de uma grande casa de espetáculos no centro da cidade. A primeira obra apresentada foi uma opereta cómica mas, antes disso, outro acontecimento reuniu a atenção de todos os lisboetas: a colocação da cúpula em ferro e vidro, importada da Alemanha.

Siga e partilhe:
20

Notáveis das Portas de Santo Antão: o Politeama

O Teatro Politeama foi uma das últimas atrações a ocupar a Rua das Portas de Santo Antão que, no início do século XX, era uma das artérias mais movimentadas, equipadas e multifacetadas de Lisboa.

Siga e partilhe:
20

Portas de Santo Antão: o “palco não exposto da Lisboa moderna”

Enquanto a cidade se expandia para norte em finais do século XIX, de que a Avenida da Liberdade é exemplo emblemático, um velho eixo urbano tornava-se o paradigma da modernidade lisboeta. 

Siga e partilhe:
20

Catedrais do cinema

O FCSH + Lisboa criou um percurso pelos cinemas que marcaram o apogeu da sétima arte na cidade: uma época em que ir ao cinema era muito mais do que ver um filme.

Siga e partilhe:
20

Lisboa de Santa Justa na passagem para o século XVIII

Santa Justa era no final do século XVII a mais populosa freguesia de Lisboa. Dos seus limites fazia parte o coração da cidade – o Rossio.

Siga e partilhe:
20