Graça em estado de graça

Diz-se que é uma das zonas mais ricas em edifícios de tipologia operária – conhecidos como vilas operárias –, solução encontrada pela cidade para acolher os trabalhadores fabris vindos de todo o país, mas é muito mais do que isso. Descubra neste roteiro uma outra Graça, onde figuras literárias, fado e outras teias de cultura se cosem com a apertada malha urbana.

Portas de Santo Antão: em busca dos notáveis

É pequena em extensão – percorre-se em poucos minutos – mas gigante na diversidade. Neste roteiro, procuramos os notáveis de outros tempos. Uns permanecem. Outros são histórias em ruínas.

Diário de Notícias: a monomania de Eduardo Coelho

Um homem (Eduardo Coelho) sonhou, outro (Tomás Quintino) financiou e o Diário de Notícias nasceu. Em 1864, o novo jornal instalava-se na rua do Bairro Alto que hoje leva o seu nome, mas os tempos de glória correspondem à mudança para a sede na Avenida da Liberdade.

Notáveis das Portas de Santo Antão: a Sociedade de Geografia

Criada em 1875 com o fim de promover e auxiliar o estudo e progresso das ciências geográficas e correlativas em Portugal, a Sociedade de Geografia de Lisboa trouxe à Rua das Portas de Santo Antão o prestígio de uma instituição científica, lado a lado com os espetáculos populares do Coliseu.

Notáveis das Portas de Santo Antão: o Coliseu dos Recreios

Inaugurado em 1890, o Coliseu dos Recreios veio colmatar a necessidade de uma grande casa de espetáculos no centro da cidade. A primeira obra apresentada foi uma opereta cómica mas, antes disso, outro acontecimento reuniu a atenção de todos os lisboetas: a colocação da cúpula em ferro e vidro, importada da Alemanha.