Como era Lisboa antes do Terramoto de 1755? Há um painel de azulejos que lhe revela (quase) tudo

Nos últimos seis anos, uma equipa de historiadores centrada na NOVA FCSH fez a identificação iconográfica de quase 150 edifícios e equipamentos presentes no “Grande Panorama de Lisboa”, executado em finais do século XVII. São várias as histórias agora reveladas por este painel de azulejos, com 23 metros de comprimento, mas a maior continua à vista de todos.

“Doblada de amor”: homenagem a Violeta Parra na NOVA FCSH

Em comemoração dos cem anos de nascimento de Violeta Parra, o poeta Raúl Zurita presta homenagem a esta cantora de resistência hoje, 29 de junho, às 17h, na NOVA FCSH, num evento integrado na programação de Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017. São vozes chilenas que ecoam em conferência e concerto abertos à cidade.

“Não toquem na minha Alfama” – segredos de uma marcha popular vencedora

Alfama está “cheia de gente”, afirmava Nuno Lopes, encenador e figurinista da Marcha de Alfama, em março de 2017. Gente “passageira”, pessoas de fora que expulsam as de dentro. Esse foi o conceito que norteou a participação deste bairro no concurso de Marchas Populares de Lisboa em junho, do qual se sagrou vencedor. Futuras antropólogas da NOVA FCSH estiveram no terreno a descobrir os segredos da face espetacular da marcha – os figurinos.

Seis Marias que fizeram nascer o Bairro da Cruz Vermelha

Um ‘engano’ e uma campanha de angariação de fundos fizeram surgir o Bairro da Cruz Vermelha, inaugurado em 1966. No centro, estão seis Marias da Secção Auxiliar Feminina da Cruz Vermelha Portuguesa, que pediram aos microfones da RTP “nem que fosse um escudo” para construir habitações a quem tinha ficado sem elas.