Será Lisboa a cidade de Ulisses?

A Odisseia, obra-prima da Antiguidade Grega atribuída a Homero, foi um dos primeiros textos traduzidos para latim pelos romanos. Desde então, muitas têm sido as relações estabelecidas entre o herói da guerra de Tróia e a fundação daquela que viria a ser a capital de Portugal.

Siga e partilhe:
20

Mercado livreiro lisboeta no início do século XX: o lugar da religião

Nos primeiros anos do século XX, existiam em Lisboa cerca de 60 livrarias, das quais dois terços acumulavam a edição. O livro religioso era parte integrante da oferta, que se concentrava na função social da religião e do cristão.  

Siga e partilhe:
20

No coração de Lisboa – percurso literário

A zona que é considerada por excelência o coração da cidade é também o centro do imaginário literário. Este percurso traça a história de Lisboa, do século XIX até à atualidade, através dos seus escritores.

Siga e partilhe:
20

O que é que há em Lisboa? O barco para a América

Durante a II Guerra Mundial, Lisboa acolheu milhares de refugiados de passagem para apanhar o barco que os levaria ao destino final. Alfred Döblin, escritor alemão de origem judaica, também passou pela capital, que descreveu como a “boia de salvação” no seu diário de viagem.

Siga e partilhe:
20

“Em Lisboa, sobre o mar”: uma homenagem à cidade e aos seus poetas

Pousa-se o olhar sobre as colinas de Lisboa com Manuel Alegre, caminha-se pela Sé com Ana Hatherly e canta-se no Terreiro do Paço com Vasco Graça Moura. No Dia do Autor Português, recorda-se a antologia poética que celebra a paisagem literária de Lisboa.

Siga e partilhe:
20

Maria Lamas: uma vida de luta pelos direitos das mulheres

Nasceu no período da monarquia, viveu durante a Primeira República e o Estado Novo e morreu depois do 25 de abril, em 1983. Foi uma personalidade marcante pelo seu papel enquanto ativista a favor das causas feministas e dá nome a rua perto das Portas de Benfica.

Siga e partilhe:
20

Fernando Pessoa: o fantasma de Tabucchi em Lisboa

Nos anos de 1960, António Tabucchi (1943-2012) foi desassossegado pela obra de Fernando Pessoa, na Universidade de Sorbonne. Decidiu então estudar português para a compreender melhor. E em Requiem: uma alucinação, o escritor italiano tem encontro marcado com o fantasma do “maior poeta do século XX”.

Siga e partilhe:
20

Portas de Santo Antão: em busca dos notáveis

É pequena em extensão – percorre-se em poucos minutos – mas gigante na diversidade. Neste roteiro, procuramos os notáveis de outros tempos. Uns permanecem. Outros são histórias em ruínas.

Siga e partilhe:
20

Alexandre O’Neill e o Grupo Surrealista de Lisboa

É apontado como o fundador do movimento surrealista português em finais dos anos de 1940. Tudo começou no café “A Cubana”, que ocupava o prédio da Avenida da República, 37.

Siga e partilhe:
20

O Natal de Lisboa em 1821

Marianne Baillie, poetisa e escritora de viagens inglesa, viveu em Portugal entre 1821 e 1823. Na carta que escreveu à sua mãe em 28 de dezembro de 1821 relata a forma fria como os lisboetas passaram o Natal desse ano.

Siga e partilhe:
20

Leituras digitais: Lisboa para crianças e para famílias

Folheia-se página a página, como em papel. É um livro digital a pensar em crianças, num jogo de interação que revela marcos e lendas, figuras e símbolos da cidade. E até o Marquês de Pombal lhes responde…

Siga e partilhe:
20