Graça em estado de graça

Diz-se que é uma das zonas mais ricas em edifícios de tipologia operária – conhecidos como vilas operárias –, solução encontrada pela cidade para acolher os trabalhadores fabris vindos de todo o país, mas é muito mais do que isso. Descubra neste roteiro uma outra Graça, onde figuras literárias, fado e outras teias de cultura se cosem com a apertada malha urbana.

O percurso “rocambolesco” do Grande Panorama de Lisboa

No século XIX, o marquês de Sousa Holstein, vice-inspetor da Academia de Belas Artes de Lisboa, tentou adquirir objetos de várias artes para formar um “museu central”. Entre esses objectos estava o Grande Panorama de Lisboa, um painel de azulejos com 23 metros de comprimento. Hugo Xavier, investigador da FCSH/NOVA, relata o longo e curioso percurso desta obra para chegar a mais do que um destino.

Revisitar Lisboa: novos estudos e novos olhares

Novos Estudos & Novos Olhares sobre a Cidade: Lisboa do Terramoto à Revolução de Abril

Que espaços e que grupos sociais foram mais relevantes na cidade nos séculos XIX e XX, histórica e socialmente? Este é um dos pontos de partida para um ciclo de conferências sobre a evolução da cidade de Lisboa, numa iniciativa do Instituto de História Contemporânea com o apoio da União das Associações de Comércio e Serviços.

Portas de Santo Antão: em busca dos notáveis

É pequena em extensão – percorre-se em poucos minutos – mas gigante na diversidade. Neste roteiro, procuramos os notáveis de outros tempos. Uns permanecem. Outros são histórias em ruínas.

Diário de Notícias: a monomania de Eduardo Coelho

Um homem (Eduardo Coelho) sonhou, outro (Tomás Quintino) financiou e o Diário de Notícias nasceu. Em 1864, o novo jornal instalava-se na rua do Bairro Alto que hoje leva o seu nome, mas os tempos de glória correspondem à mudança para a sede na Avenida da Liberdade.

Notáveis das Portas de Santo Antão: a Sociedade de Geografia

Criada em 1875 com o fim de promover e auxiliar o estudo e progresso das ciências geográficas e correlativas em Portugal, a Sociedade de Geografia de Lisboa trouxe à Rua das Portas de Santo Antão o prestígio de uma instituição científica, lado a lado com os espetáculos populares do Coliseu.