Restelo – um bairro que é afinal um palco de ensaios de bairros

Foi eleito o melhor bairro de Lisboa para se viver em 2012, os moradores gostam de ser associados à zona e é um dos locais de preferência dos arquitetos para viver e trabalhar. Contudo, uma tese de doutoramento em História Contemporânea da NOVA FCSH contraria a própria denominação do Restelo como bairro.

Siga e partilhe:
20

Beato e Marvila – uma proposta de regeneração urbana para as zonas esquecidas da frente ribeirinha oriental

Um dos melhores exemplos de regeneração urbana em Lisboa foi a do Parque das Nações. Contudo, mesmo ao lado, outras áreas da zona ribeirinha oriental, como Beato e Marvila, permaneceram esquecidas. Uma tese de mestrado em Gestão do Território da NOVA FCSH avança com uma proposta para colocá-las novamente no mapa.

Siga e partilhe:
20

Viver no Parque das Nações – uma “marca” de residência

Condições do espaço público, características da habitação e prestígio social do Parque das Nações. Uma tese de doutoramento revela as motivações que levaram os seus residentes a eleger este bairro para viver.

Siga e partilhe:
20

Como veem os reclusos a sua “casa” de Monsanto?

O Estabelecimento Prisional de Monsanto, única prisão portuguesa com segurança máxima, tem uma arquitetura redonda semelhante ao modelo panótico, sem vãos para o exterior nem oportunidade de reconhecer os pontos cardeais ou a orientação solar. Que repercussões tem esta estrutura fechada nos seus habitantes? Mariana Carrolo, investigadora da NOVA FCSH, pediu literalmente aos reclusos para fazerem um desenho. 

Siga e partilhe:
20

“Doblada de amor”: homenagem a Violeta Parra na NOVA FCSH

Em comemoração dos cem anos de nascimento de Violeta Parra, o poeta Raúl Zurita presta homenagem a esta cantora de resistência hoje, 29 de junho, às 17h, na NOVA FCSH, num evento integrado na programação de Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017. São vozes chilenas que ecoam em conferência e concerto abertos à cidade.

Siga e partilhe:
20

“Não toquem na minha Alfama” – segredos de uma marcha popular vencedora

Alfama está “cheia de gente”, afirmava Nuno Lopes, encenador e figurinista da Marcha de Alfama, em março de 2017. Gente “passageira”, pessoas de fora que expulsam as de dentro. Esse foi o conceito que norteou a participação deste bairro no concurso de Marchas Populares de Lisboa em junho, do qual se sagrou vencedor. Futuras antropólogas da NOVA FCSH estiveram no terreno a descobrir os segredos da face espetacular da marcha – os figurinos.

Siga e partilhe:
20

No coração de Lisboa – percurso literário

A zona que é considerada por excelência o coração da cidade é também o centro do imaginário literário. Este percurso traça a história de Lisboa, do século XIX até à atualidade, através dos seus escritores.

Siga e partilhe:
20

“Em Lisboa, sobre o mar”: uma homenagem à cidade e aos seus poetas

Pousa-se o olhar sobre as colinas de Lisboa com Manuel Alegre, caminha-se pela Sé com Ana Hatherly e canta-se no Terreiro do Paço com Vasco Graça Moura. No Dia do Autor Português, recorda-se a antologia poética que celebra a paisagem literária de Lisboa.

Siga e partilhe:
20

Museus – há lugar para jovens?

Raramente visitam um museu, mas com os conteúdos certos poderiam fazê-lo com maior frequência. Uma tese de mestrado em Ciências da Comunicação revela, tomando como estudo de caso o Museu Gulbenkian, estratégias para tornar os museus “um lugar para se estar” para os jovens.

Siga e partilhe:
20

A que soa o bairro da Mouraria?

O ambiente sonoro de um bairro regula e estrutura as experiências nos seus espaços públicos.  Quem o diz é Iñigo Sánchez, investigador da NOVA FCSH, que  explorou o impacto do recente programa de requalificação urbana da Mouraria no seu ambiente sonoro.

Siga e partilhe:
20

Bangladeshis em Lisboa: de vendedores ambulantes a empresários

O primeiro bangladeshi, natural da região de Sylhet, chegou a Lisboa em 1993. Terá sido por seu intermédio que outros lhe seguiram o exemplo. Começaram por trabalhar em setores desfavorecidos, mas rapidamente se tornaram empresários. Em 2008, detinham mais de 150 lojas entre o Martim Moniz, os Anjos e a Baixa lisboeta.

Siga e partilhe:
20

Graffiti no Bairro Alto: problema urbano ou obra de arte coletiva?

No início do século XXI, o Bairro Alto parecia uma galeria a céu aberto de graffiters. Enquanto o poder público tentava limpar a “sujidade” das paredes do bairro, um investigador da NOVA FCSH associou-a a um dos maiores movimentos artísticos do século XX.

Siga e partilhe:
20

Telhados verdes em Lisboa: adivinha o seu potencial?

Em 2013, existiam 12 telhados verdes em Lisboa, com um total de 52 metros quadrados. Um grupo de investigadores da NOVA FCSH e da Universidade do Porto analisou os telhados da cidade adequados a uma cobertura com vegetação, através de uma metodologia inovadora, e a estimativa a que chegou é surpreendente.

Siga e partilhe:
20

Mutilação genital feminina: uma realidade que atinge Lisboa

Há 4599 mulheres a residir no distrito de Lisboa que poderão ter sido submetidas a vários tipos de mutilação genital. É o valor mais alto do país, dado que Lisboa é o destino de 70% das mulheres originárias de países onde a prática é comum e aceite.

Siga e partilhe:
20