Constança Capdeville: uma notável no ensino e criação de música em Lisboa

No ano do seu 80.º aniversário, o Departamento de Ciências Musicais da FCSH/NOVA presta homenagem a Constança Capdeville. O FCSH +Lisboa recorda a sua ligação à cidade de Lisboa.

Foi em 1980 que Constança Capdeville (1937-1992), nascida em Barcelona e desde os 14 anos a viver em Portugal, iniciou as suas atividades docentes no Departamento de Ciências Musicais da FCSH/NOVA, marcando gerações. Quase 40 anos depois, a sua formação e atividade musical estão ainda profundamente ligadas à cidade.

Constança Capdeville estudou Piano, Composição, Musicologia, Interpretação de Música Antiga e Técnica de Acompanhamento no Conservatório Nacional de Música, à Rua dos Caetanos, no Bairro Alto.  Em 1962, aí recebeu o Prémio de Composição, atribuído à sua obra para órgão Variações sobre o nome de Igor Stravinsky. 

Também a Fundação Calouste Gulbenkian teve lugar de destaque na sua formação e desempenho musical. No início dos anos 1960, como bolseira da Fundação, participou em trabalhos de musicologia na Biblioteca da Ajuda e na Biblioteca Nacional. Foi percussionista convidada na Orquestra Gulbenkian e, em 1969, por encomenda da Fundação, compôs Diferenças Sobre um Intervalo.

Entre outros espaços musicais, trabalhou como compositora e intérprete na Orquestra Universitária de Lisboa, foi pianista e percussionista, nos Menestréis de Lisboa e no Grupo de Música Contemporânea de Lisboa.

Uma sólida vontade de experimentar sonoridades e ambientes associada a uma formação diversificada levaria a que as suas cerca de 80 obras se distribuíssem por música para orquestra, música para teatro e cinema, música para dança, e música para espetáculos cénico-musicais.

Foi esta diversidade que soube comunicar às gerações dos seus alunos. O Departamento de Ciências Musicais da FCSH/NOVA foi constituído em 1980. Constança Capdeville integrou o primeiro grupo de docentes do curso de licenciatura com o mesmo nome, pioneiro em Portugal na área da Música. Lecionou História e Problemática da Interpretação e Análise da Música do Séc. XX.

Falecida em 1992, Constança Capdeville tem o seu nome numa rua da freguesia de Santa Clara, juntamente aos de outros artistas, como a atriz Brunilde Júdice ou a pintora Maluda. O seu espólio musical foi doado à Biblioteca Nacional. Em 2008, a RTP dedicou-lhe um programa da série “Percursos da Música portuguesa”.

No ano do 80.º aniversário do seu nascimento, professores e alunos do Departamento de Ciências Musicais, juntamente com músicos convidados, recordam a sua obra num programa musical que se oferece à cidade de Lisboa.

 

Texto elaborado a partir de informação disponível em Toponímia de Lisboa

 

 

 

 

 

 

Siga e partilhe:
20

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *