Etnomusicologia estuda Marchas Populares: o caso Mouraria

“Carrega Mouraria” é o grito que ergue meia centena de pessoas, empurrando-as pela Avenida da Liberdade abaixo, em representação do seu bairro durante as Marchas Populares de Lisboa. O momento foi retratado pelo INET-md e integrado no festival de arte contemporânea Paratissima.

Como é que os participantes e organizadores das marchas populares no bairro da Mouraria vivem as festas de Lisboa, nomeadamente as Marchas Populares que todos os ano, desde há décadas, descem a Avenida da Liberdade?

Iñigo Sánchez, investigador do Instituto de Etnomusicologia-Centro de Estudos em Musica e Dança (INET-md), organizou a exposição fotográfica “Carrega Mouraria” como oportunidade para dar a conhecer um lado das marchas populares fora do alcance do olhar público. Esta exposição é um dos resultados de um projeto de investigação em curso sobre o papel da cultura expressiva na requalificação urbana do bairro da Mouraria.

Sob o cenário de um bairro envelhecido e em permanente transformação do seu tecido social e urbano, o projeto retratou o ‘dia-a-dia’ e a dinâmica coletiva de jovens comprometidos com a manutenção do sentido de união e de orgulho na comunidade de um dos bairros mais emblemáticos da capital.

A exposição fotográfica, realizada em julho de 2016, inseriu-se na programação do Paratissima Lisboa, um projeto de arte contemporânea público, colaborativo, inclusivo e democrático, destinado a promover os artistas emergentes.

Legenda da imagem: marchas populares da Mouraria. Fotografia de Iñigo Sánchez Fuarros.

Siga e partilhe:
20

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *