Exposição Discos na Luta recorda músicas de intervenção

Integrada na Conferência Internacional Canção de Protesto e Mudança Social, a NOVA FCSH recebeu uma mostra de cerca de 200 capas de discos de vinil de músicas de resistência e intervenção, produzidos entre 1960 e 1979.

Associando músicas revolucionárias, imagens visuais e luta social, a NOVA FCSH organizou, em junho de 2016, a exposição “Discos na Luta”. Tratou-se de uma mostra de cerca de 200 capas de discos de vinil, da coleção privada de Hugo Castro, aluno de doutoramento em Ciências Musicais: Etnomusicologia.

A exposição sublinhou o trabalho de produção discográfica em ambiente nacional e internacional, incitando, através da música, à mudança social. José Afonso e José Mário Branco foram, entre outros, os nomes em destaque.

Dividida em duas alas – “Resistência e Revolução” e “PREC e Pós-Revolução” –, a mostra em exposição na NOVA FCSH prestou atenção não só à quantidade, qualidade e diversidade da produção musical, mas também ao design e às temáticas sociais e políticas abrangidas pelos objetos originais.

A mostra de discos terminava na Cabine de História Viva, uma câmara de gravação pré-fabricada, que recolhia impressões de então e de agora acerca dos discos na luta. Foi parte integrante da Conferência Internacional Canção de Protesto e Mudança Social (ICPSong’16), organizada pelo Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md).

Legenda da imagem: a exposição foi dividida pela temáticas “Resistência e Revolução” e “PREC e Pós-Revolução”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *