“Doblada de amor”: homenagem a Violeta Parra na NOVA FCSH

Em comemoração dos cem anos de nascimento de Violeta Parra, o poeta Raúl Zurita presta homenagem a esta cantora de resistência hoje, 29 de junho, às 17h, na NOVA FCSH, num evento integrado na programação de Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017. São vozes chilenas que ecoam em conferência e concerto abertos à cidade.

Violeta Parra (1917-1967) dedicou a sua vida a investigar as raízes da música popular e a criar canções a partir delas. Recorreu aos bairros desfavorecidos de Santiago do Chile e às comunidades mineiras para recolher canções anónimas que divulgou num programa de rádio. Deu voz a canções como “Gracias a la vida”, que marcaram gerações e que transbordaram o Chile e o continente sul-americano. Além de cantora e musicóloga, foi  pintora, escultora e ceramista. O seu legado artístico e o seu contributo para a música popular permanecem vivos na memória do povo chileno e além-fronteiras.

Cem anos depois do seu nascimento, Violeta Parra é recordada pelo poeta Raúl Zurita hoje, 29 de junho. A conferência “Violeta Parra: doblada de amor” é promovida pelo Instituto de Etnomusicologia (INET-md) e o Departamento de Ciências Musicais da NOVA FCSH, numa iniciativa  associada a Lisboa, capital Ibero-americana da cultura 2017.

Raúl Zurita nasceu em Santiago do Chile, em 1950. A sua juventude foi marcada pela ditadura militar imposta por Augusto Pinochet (1973-1990), tendo sido detido e torturado. Também a sua obra literária se articula com outras formas de expressão artística, fazendo uso do seu próprio corpo. Entre os prémios e distinções que recebeu contam-se o Péricles Gold Award Itália (1994), o Prémio Nacional de Literatura do Chile (2000) e o Prémio Ibero-americano de poesia Pablo Neruda (2016). Os seus livros e poemas estão traduzidos em cerca de 20 línguas.

Atualmente Professor Emérito pela Universidad Diego Portales, de Santiago do Chile, Zurita lecionou também Literatura na Universidade do Estado da Califórnia (EUA). Foi distinguido com o Doutoramento Honoris Causa pelas Universidades de Alicante e Santa Maria do Chile.

Neste evento de homenagem,  juntam-se às palavras de Zúrita canções de Violeta Parra e de Víctor Jara, outro cantor e ativista chileno emblemático, interpretadas por Beatriz Borges e Andrea Musio (aluna da licenciatura em Ciências Musicais e doutoranda em Etnomusicologia, respetivamente).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *