Memórias das Avenidas Novas: Pastelaria Versailles

Ícone das Avenidas Novas, a patisserie Versailles era inaugurada a 25 de novembro de 1922 por Salvador Antunes, um português apaixonado pela pastelaria francesa e a Arte Nova.

Instalada na Avenida da República, n.º 15, num edifício da Arte Nova por excelência e cujo projeto é atribuído ao arquiteto Norte Júnior, a pastelaria Versailles tornou-se o emblema da magnificência que caracterizava as Avenidas Novas em meados do século XX. Basta relembrar o que o Diário de Lisboa escreveu sobre a Versailles, após a inauguração: “É verdadeiramente notável a nova casa de chá. Desde os lindos quadros do pintor Bemvindo Ceia, evocando os lagos maravilhosos de Versailles, até aos belos trabalhos de talha do construtor Fausto Fernandes, toda ela está rigorosamente no estilo de Luís XIV. (…) A Pâtisserie Versailles ficou sendo, de todos os estabelecimentos do género, o melhor da capital e dos melhores da península”.

Como será trabalhar há mais de 30 anos num estabelecimento com este legado histórico? No âmbito do projeto de investigação Memória para Todos, desenvolvido pelo Instituto de História Contemporânea (IHC) da NOVA FCSH, investigadores do projeto entrevistaram António Marques, sócio-gerente da Pastelaria Versailles, onde trabalha desde 1985. As suas memórias levam-no a partilhar a evolução desta casa que, outrora ligada a uma população envelhecida, é hoje frequentada por todas as gerações.

Legenda da imagem: interior da Pastelaria Versailles em 1978. Fotografia de Gonçalves (Arquivo Fotográfico de Lisboa).

Siga e partilhe:
20

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *