Mural da Revolução dos Cravos nas paredes da NOVA FCSH

Símbolos e valores da Revolução dos Cravos são os protagonistas do mural de 15 metros, que ganhou vida no exterior da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas de Universidade Nova de Lisboa (NOVA FCSH), na Avenida de Berna.

O retrato de Salgueiro Maia, evocativo do 25 de Abril de 1974, é a peça central do mural que ganhou vida através de artistas urbanos da plataforma Underdogs, a convite do Instituto de História Contemporânea (IHC) da NOVA FCSH.

Para Vhils, Miguel Januário, Frederico Draw, Diogo Machado e Gonçalo Ribeiro, que nasceram depois da Revolução, a inspiração veio da célebre fotografia de Salgueiro Maia, captada pelo fotojornalista Alfredo Cunha, no Largo do Carmo, no momento da Revolução. Essa foto foi enquadrada com a bandeira portuguesa sobre um fundo negro, os punhos cerrados do povo que grita “amor” e “luta”, num padrão que remete para a azulejaria portuguesa.

“O objetivo é mostrar como esta nova geração de artistas interpreta o 25 de Abril e como esta data influenciou as suas vidas”, sublinhou Vhils, nome pelo qual é conhecido Alexandre Farto, co-fundador da plataforma.

A imagem abre com o escudo de Portugal entre ossos e correntes partidas, representando o corte com o Antigo Regime, e fecha com uma visão do pós-25 de Abril: um coração e duas G3 (com os canos virados para baixo, em jeito de provocação), envolvidos numa faixa escrita em latim, cuja tradução é “Ou encontramos uma via, ou fazemos uma”.

A pintura do muro nas paredes da NOVA FCSH foi notícia nos media nacionais e internacionais, entre os quais o Público, a Visão e a GloboNews.

Legenda da imagem: mural da NOVA FCSH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *