13 Dezembro, 2018

Projetos de investigação à lupa #4: Opus Tutti, a arte que continua a inspirar quem lida com os mais pequenos

Terá a arte importância na vida das crianças? Opus Tutti, projeto de investigação com o objetivo de criar práticas artísticas para a infância, do qual fez parte o Laboratório de Música e Comunicação na Infância, do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da NOVA FCSH, veio mostrar que sim.

Opus Tutti, projeto educativo e artístico, terminou há quatro anos, mas está longe de ser esquecido. Para além de performances que ganharam autonomia e circulam pelo país e estrangeiro, também permanecem as memórias das crianças, pais, educadores e artistas que nele participaram.

“É durante a primeira infância que o contacto com a arte deve acontecer”, garante Paulo Maria Rodrigues, responsável pela direção artística do projeto e um dos fundadores da Companhia de Música Teatral, parceiro de Opus Tutti. Foi esta consciência que fez surgir esta investigação inovadora em que “a experiência artística pode ser partilhada por crianças, adultos e idosos e os artistas podem ser músicos ou bailarinos formados, mas também outras pessoas”, acrescenta.

De 2011 a 2014, anos que correspondem às quatro fases do projeto – germinar, crescer, enraizar e frutificar –, foram realizadas várias atividades artísticas. “Um Plácido Domingo, PaPi [Peça a Peça Itinerante] e Babelim são os resultados a destacar”, afirma a coordenadora de Opus Tutti, Helena Rodrigues.

Da performance Um Plácido Domingo, a escultura sonora Gamelão de Porcelana e Cristal continua a ser apresentada pelo país. PaPi, um conjunto de peças pensadas para circular em creches, tem sido apresentado em instituições culturais de Lisboa. No entanto, foi a peça Babelim que conquistou o estrangeiro. Já esteve na Finlândia e Dinamarca e segue-se França.

As publicações Ecos de Opus Tutti e Manual para a Construção de Jardins Interiores e, ainda, GermInArte, projeto de investigação em curso, também coordenado por Helena Rodrigues, são outros contributos para que as ideias geradas continuem a ser implementadas.

Benefícios da arte na infância

As vantagens das experiências artísticas nas crianças são evidentes, concordam os dois responsáveis de Opus Tutti. Irene Rico, educadora do Centro Infantil Roseiral, creche onde foi feito o estudo piloto, relembra que nas sessões de música, designadas Creche&Apareche, os bebés “ficavam completamente anestesiados a ouvir e havia muitos que começavam a balbuciar e palrar”, o que mostra evolução ao nível da capacidade linguística.

Também Rui Maia, criança a quem Opus Tutti marcou a memória, salienta que “o projeto puxou pelo lado criativo”. A sua mãe, Helena Miranda, conta que o filho ao participar numa peça de PaPi “ficou desinibido”, sendo essa outra vantagem da arte na infância.

Para Helena Rodrigues há ainda outro benefício, mais importante e transversal a crianças e adultos. “O bem-estar – as pessoas estarem em harmonia e em plenitude não tem preço”, refere.

Opus Tutti está inserido no grupo de cem projetos de investigação colaborativa com impacto em Lisboa realizados nos últimos cinco anos na NOVA FCSH e foi financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Escrito por
Susana Sobreiro
Ver todos os artigos
Deixe uma resposta

Escrito por Susana Sobreiro

O PROJETO

Uma nova forma de conhecer Lisboa
+ inovadora + visual e + interativa
a partir do que se investiga na NOVA FCSH. [Saiba +]

APRENDER SOBRE LISBOA NA NOVA FCSH 2017/2018

Tempos e cidades (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em Estudos Urbanos, aberta a alunos externos. [Saiba +]

História de Lisboa Medieval (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História, aberta a alunos externos. [Saiba +]

A cidade na cultura oitocentista (2.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História da Arte, aberta a alunos externos. [Saiba +]

Unidades de Investigação da FCSH/NOVA

Clique aqui para aceder às 16 unidades de investigação da FCSH/NOVA.

FCSH +LISBOA NAS REDES