Projetos de investigação à lupa #3: o papel tem uma identidade e chama-se marca de água

A primeira marca de água surgiu em 1282, em Itália. Desde então, os fabricantes do papel começaram a usá-la como forma de identificação, rica em elementos simbólicos. Um projeto de investigação do CHAM identifica marcas de água dos documentos dos séculos XVI e XVII existentes no arquivo da igreja de Nossa Senhora do Loreto, em Lisboa.

Da Quinta da Holandesa ao Bairro do Armador: desafios de integração da comunidade hindu

Uma tese de mestrado estudou a vida social da população hindu realojada em finais dos anos de 1990 no Bairro do Armador, em Marvila. Vinte anos depois, como vive esta comunidade num bairro associado à sua etnia e cuja voz não se faz ouvir?

Seis depoimentos em produção multimédia sobre Lisboa… de 1993

Há 25 anos, Amália Rodrigues, José Saramago, Jorge Amado, Jorge Sampaio, Pinto Balsemão e Mário Soares falavam sobre a sua ligação à cidade, num compacto-disco interativo (CD-I). Hoje, o labor e a tecnologia conseguiram trazer estes depoimentos para a Internet. Pode ouvi-los aqui.

Livro do mês #Fevereiro 2018: Lisboa nas palavras dos outros

Da Lisboa magnífica de princípios do século XVIII à cidade devastada pelo seu acontecimento mais icónico; da Lisboa dos refugiados durante a II Guerra Mundial  à cidade tórrida de Antonio Tabucchi. Este livro, coordenado por Ana Isabel Queiroz, é a narrativa das narrativas sobre Lisboa.

Exposição sobre investigação colaborativa com impacto em Lisboa reúne mais de cem projetos na NOVA FCSH

Quem eram os vegetarianos lisboetas de há cem anos? Que empreendedores mudaram a face de Lisboa? Como preservar os carrilhões de Mafra?  Até 5 de fevereiro, conheça projetos de investigação desenvolvidos na NOVA FCSH em prol da Área Metropolitana de Lisboa.