Filmar o restauro do Grande Auditório da Gulbenkian

Grande Auditório – Memorial de uma obra, de João Mário Grilo, realizador e docente da FCSH/NOVA, revela processos e pessoas que tornaram possível o restauro do Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian.

Olhar para uma obra da dimensão do Grande Auditório através do cinema foi, para o realizador, uma forma de criar um “ponto de contacto” entre várias realidades: a de hoje, a das pessoas que o frequentam; a do futuro, a realidade das pessoas que o podem vir a frequentar; e a realidade do passado, que tornou possível a sua existência atual.

O filme constitui o retrato de experiências humanas: a dos trabalhadores que estiveram neste espaço durante meses e que, provavelmente, a ele não voltarão mais; a de espectadores que podem comparar o que era dantes com o que ficou depois; a de outros espectadores que virão no futuro e que nunca conhecerão o que era este espaço.

Após o restauro da sala de espetáculo, do palco e subpalco, das salas de ensaios da orquestra, do coro e de todas as zonas de apoio técnico, o  novo Grande Auditório da Gulbenkian foi inaugurado a 15 de fevereiro de 2014.

Legenda: Frame de Grande Auditório – Memorial de uma obra.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *