Revisitar Lisboa: novos estudos e novos olhares

Que espaços e que grupos sociais foram mais relevantes na cidade nos séculos XIX e XX, histórica e socialmente? Este é um dos pontos de partida para um ciclo de conferências sobre a evolução da cidade de Lisboa, numa iniciativa do Instituto de História Contemporânea com o apoio da União das Associações de Comércio e Serviços.

“Novos estudos & novos olhares sobre a cidade: Lisboa do Terramoto à Revolução de Abril” é o tema de um ciclo de conferências mensais do âmbito da História, da Sociologia e das Humanidades Digitais, com a capital sempre como pano de fundo. São onze conferências que compõem este ciclo, de fevereiro a dezembro de 2017, onde se pretende renovar o olhar sobre a cidade, apresentando e discutindo trabalhos, textos ou projetos que têm Lisboa como cenário ou atriz, num arco temporal entre os séculos XIX e XX, num programa multidisciplinar.

Por um lado, será caracterizada a vivência quotidiana, a sociabilidade e as dinâmicas culturais, sociais ou políticas daqueles que viveram ou passaram pela cidade. Por outro, pretende-se também analisar o seu espaço físico, o seu pulsar urbano, as suas transformações.

O ciclo de conferências é organizado por Daniel Alves e Rosa Fina, no âmbito das atividades do Instituto de História Contemporânea (IHC). Historiador da FCSH/NOVA, Daniel Alves foi autor da tese de doutoramento, já publicada em livro, sobre o papel dos lojistas de Lisboa e a sua adesão ao movimento republicano.

Hora e local: Sempre às 18h na Sala do Conselho da União das Associações do Comércio e Serviços – Rua Castilho, 14 – Lisboa

PROGRAMA

22 de fevereiro – David Sousa-Rodrigues (Centre for Complexity and Design, The Open University) e Mafalda Teixeira de Sampayo (CIES-IUL, Departamento de Arquitectura e Urbanismo, Instituto Universitário de Lisboa): Random-Walks on the plans for the 1755 Lisbon reconstruction. Cities as Complex Systems
29 de março – Ana Gil (CERIS – Instituto Superior Técnico): Lisboa conventual: reconstrução digital de património arquitetónico
26 de abrilRosa Fina (IHC-FCSH, Universidade NOVA de Lisboa): As várias noites de Lisboa (1780-1900): uma perspetiva histórica, social e literária
31 de maio – Ana Barata (Fundação Calouste Gulbenkian – Biblioteca de Arte): «Lisboa caes da Europa»: e do rio se fez cidade
21 de junhoAna Alcântara (IHC-FCSH, Universidade NOVA de Lisboa): Associações de classe e intervenção operária na Lisboa no final do século XIX
12 de julhoPaulo Alexandre Alves (IHC-FCSH, Universidade NOVA de Lisboa): Uma cidade culturalmente fervilhante? O comércio de livros no final da Lisboa Oitocentista (1890-1910)
27 de setembro – Gonçalo Gonçalves (CIES – Instituto Universitário de Lisboa): Os riscos de ser o “cais da europa”: Lisboa e as redes internacionais de cooperação policial, c.1890-1940
11 de outubro – Vítor Oliveira (Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto): A importância da cartografia histórica para os estudos de forma urbana: os casos de Lisboa e Porto
25 de outubroJoão Silva (Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md, FCSH-UNL): “O presságio d’alva como que tornou a cidade mais sonora”: sons, espaços e vida quotidiana em Lisboa no final da Monarquia Constitucional
22 de novembro – Cecília Vaz (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, CIES-IUL): Novas vivências na cidade? A boémia em Lisboa (1880-1929)
13 de dezembroAlice Samara (IHC-FCSH, Universidade NOVA de Lisboa): Lisboa, cidade de resistência

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *