“Em Lisboa, sobre o mar”: uma homenagem à cidade e aos seus poetas

Pousa-se o olhar sobre as colinas de Lisboa com Manuel Alegre, caminha-se pela Sé com Ana Hatherly e canta-se no Terreiro do Paço com Vasco Graça Moura. No Dia do Autor Português, recorda-se a antologia poética que celebra a paisagem literária de Lisboa.

O título “Em Lisboa, sobre o mar” foi inspirado no primeiro verso de uma cantiga medieval, da autoria de João Zorro. “Não só é uma frase literária como descreve bem a cidade de Lisboa”, justifica Ana Isabel Queiroz, investigadora da FCSH/NOVA, e co-responsável pela seleção e organização de textos que integram a antologia poética, editada pela Fabula Urbis, em 2013. “O nosso rio é um mar”, sublinha.

A ideia de publicar uma antologia que reunisse poemas de autores contemporâneos sobre a cidade nasceu num dos encontros da Comunidade de Leitores de Paisagens Literárias de Lisboa, promovidos pelo Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (IELT) da FCSH/NOVA e a livraria Fabula Urbis. A noção de paisagem literária é fulcral para entender a escolha dos poemas: “queremos que o leitor viaje na literatura ao mesmo tempo que viaja no território, isto é, na cidade”, explica Ana Isabel Queiroz.

O resultado foi uma antologia que reúne 50 poemas de 26 poetas, sem pretensão de ilustrar correntes ou tendências poéticas. Ana Isabel Queiroz, Luís Maia Varela e Maria Luísa Costa selecionaram somente alguns dos melhores poemas “suscitados pela paisagem lisboeta” e publicados em livro entre 2001 e 2010.

A edição de uma coletânea é uma homenagem que Lisboa faz aos seus poetas, refere Ana Isabel Queiroz, que a homenageiam por sua vez nos seus versos.  O leque de idades dos autores – desde Eugénio de Andrade, nascido em 1923, até Miguel Manso ou Tiago Patrício, nascidos em 1979 – confirma “o constante fascínio por Lisboa na obra dos poetas”, lê-se no prefácio do livro.

Siga e partilhe:
20

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *