Notáveis das Portas de Santo Antão: o Coliseu dos Recreios

Inaugurado em 1890, o Coliseu dos Recreios veio colmatar a necessidade de uma grande casa de espetáculos no centro da cidade. A primeira obra apresentada foi uma opereta cómica mas, antes disso, outro acontecimento reuniu a atenção de todos os lisboetas: a colocação da cúpula em ferro e vidro, importada da Alemanha.

Em 1890, o Coliseu dos Recreios veio substituir equipamentos efémeros que tinham ocupado parte da zona dos Restauradores e do Passeio Público: os famosos Recreios Whittoyne, inaugurados em 1875 e demolidos 11 anos depois para dar lugar à construção da estação dos caminhos de ferro nos Restauradores; e o Circo Price, inaugurado em 1862 e depois chamado Coliseu de Lisboa, que foi inserido em 1882 no processo de demolição do Passeio Público e posterior construção da Avenida da Liberdade. O próprio Real Coliseu de Lisboa, inaugurado em 1887, situava-se na Rua da Palma, considerada então longe do centro.

A edificação do Coliseu na Rua das Portas de Santo Antão foi o resultado de uma obra de equipa, que envolveu vários especialistas. As plantas do edifício, com capacidade para 5.700 espetadores, os alçados e cortes do circo-teatro foram traçados pelo engenheiro francês François Goullard, que morreria no decurso dos trabalhos, sendo substituído pelo filho. A decoração da sala foi responsabilidade do cenógrafo Eduardo Machado (1854-1907). A fachada do edifício, muito clássica, foi projetada pelo arquiteto italiano Cesare Ianz, destacando-se o embasamento rusticado, os três arcos sobre as portas principais e os grandes janelões marcados por colunas jónicas.

O edifício foi inaugurado com uma opereta cómica da companhia italiana Carraciolo, mas Manuel Villaverde relembra na sua tese de mestrado em História Contemporânea da FCSH/NOVA (1997) – “A Evolução de Lisboa e a Rua das Portas de Santo Antão (1879-1926)” – que foi a montagem ao vivo da espetacular cúpula em ferro, com 25 metros de raio, vinda da Alemanha e feita pela frima Hein Lehman, que atraiu centenas de pessoas e jornalistas para assistir ao acontecimento inaugural. Tratava-se da primeira vez que os lisboetas assistiam à elevação de uma “estrutura de ferro intacta, de proporções nunca antes experimentadas na cidade”.

Explore outros notáveis da Rua das Portas de Santo Antão: a Sociedade de Geografia, o Ateneu Comercial de Lisboa, os “clubes da guerra” e o Politeama.

Instalação da cúpula de ferro e vidro no Coliseu dos Recreios.

Legenda da imagem de destaque: Cúpula de ferro e vidro vista do interior, durante o concerto de Benjamin Clementine, em 2016. Créditos da imagem:  Rita Carmo para Blitz.

3 comentários em “Notáveis das Portas de Santo Antão: o Coliseu dos Recreios

  • Gostei muito deste artigo. A memória da cidade é a própria cidade e este projeto que revisita os espaços lisboetas e ressuscita o passado, uma forma de reconstruir e engrandecer a cidade na sua dimensão total. Parabéns!

  • Excelente artigo, de fácil e rápida leitura sobre, na minha singela opinião, A Sala de Espectáculos de Lisboa. Continuem o bom trabalho!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *