12 Agosto, 2020

Casal Ribeiro: um jornalista político que se fez conde e ficou nome de avenida

D. Luís agraciou-o com o título de conde de Casal Ribeiro em 1870. A avenida que, a partir de 1902, ligou a Praça Duque de Saldanha ao Largo de Dona Estefânia ganhou o seu nome. José Maria do Casal Ribeiro foi um dos nomes da Lisboa política do século XIX.

O seu nome extenso – José Maria Caldeira do Casal Ribeiro (Lisboa, 1825- Madrid, 1896) – faz jus à diversidade de atividades que pautaram a sua vida. Licenciado em Direito, começou por ser um revolucionário republicano, inspirado pelos ideais da Segunda República Francesa. Colaborou no jornal O Atheneu, na Revista Universal Lisbonense, n’A Semana de Lisboa e fundou A Civilização (1856-1857).

Com o advento da Regeneração, cujo protagonista foi Fontes Pereira de Melo, Casal Ribeiro opta por esta linha ideológica, aderindo ao Partido Regenerador em 1856. Assumiu, neste contexto, funções de deputado, ministro e embaixador. Revolucionário na juventude, mas conservador até à sua morte, chegou a tentar fundar um partido próximo no movimento católico conservador.

Patrícia Lucas constroi na sua tese de mestrado em História (2012) da NOVA FCSH  a biografia política do Conde de Casal Ribeiro, uma vida oscilante entre diversas ideologias políticas, todas elas com marca no século XIX português.

 

 

Escrito por
Dora Santos Silva
Ver todos os artigos
Escrito por Dora Santos Silva

O PROJETO

Uma nova forma de conhecer Lisboa
+ inovadora + visual e + interativa
a partir do que se investiga na NOVA FCSH. [Saiba +]

APRENDER SOBRE LISBOA NA NOVA FCSH 2017/2018

Tempos e cidades (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em Estudos Urbanos, aberta a alunos externos. [Saiba +]

História de Lisboa Medieval (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História, aberta a alunos externos. [Saiba +]

A cidade na cultura oitocentista (2.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História da Arte, aberta a alunos externos. [Saiba +]

Unidades de Investigação da FCSH/NOVA

Clique aqui para aceder às 16 unidades de investigação da FCSH/NOVA.

FCSH +LISBOA NAS REDES