22 Janeiro, 2020

Casal Ribeiro: um jornalista político que se fez conde e ficou nome de avenida

D. Luís agraciou-o com o título de conde de Casal Ribeiro em 1870. A avenida que, a partir de 1902, ligou a Praça Duque de Saldanha ao Largo de Dona Estefânia ganhou o seu nome. José Maria do Casal Ribeiro foi um dos nomes da Lisboa política do século XIX.

O seu nome extenso – José Maria Caldeira do Casal Ribeiro (Lisboa, 1825- Madrid, 1896) – faz jus à diversidade de atividades que pautaram a sua vida. Licenciado em Direito, começou por ser um revolucionário republicano, inspirado pelos ideais da Segunda República Francesa. Colaborou no jornal O Atheneu, na Revista Universal Lisbonense, n’A Semana de Lisboa e fundou A Civilização (1856-1857).

Com o advento da Regeneração, cujo protagonista foi Fontes Pereira de Melo, Casal Ribeiro opta por esta linha ideológica, aderindo ao Partido Regenerador em 1856. Assumiu, neste contexto, funções de deputado, ministro e embaixador. Revolucionário na juventude, mas conservador até à sua morte, chegou a tentar fundar um partido próximo no movimento católico conservador.

Patrícia Lucas constroi na sua tese de mestrado em História (2012) da NOVA FCSH  a biografia política do Conde de Casal Ribeiro, uma vida oscilante entre diversas ideologias políticas, todas elas com marca no século XIX português.

 

 

Escrito por
FCSH +LISBOA
Ver todos os artigos
Escrito por FCSH +LISBOA

O PROJETO

Uma nova forma de conhecer Lisboa
+ inovadora + visual e + interativa
a partir do que se investiga na NOVA FCSH. [Saiba +]

APRENDER SOBRE LISBOA NA NOVA FCSH 2017/2018

Tempos e cidades (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em Estudos Urbanos, aberta a alunos externos. [Saiba +]

História de Lisboa Medieval (1.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História, aberta a alunos externos. [Saiba +]

A cidade na cultura oitocentista (2.º semestre)
Unidade curricular do mestrado em História da Arte, aberta a alunos externos. [Saiba +]

Unidades de Investigação da FCSH/NOVA

Clique aqui para aceder às 16 unidades de investigação da FCSH/NOVA.

FCSH +LISBOA NAS REDES